O novo perfil do advogado

Atualmente, existem no Brasil cerca de 800 000 advogados atuantes e mais de 1 000 faculdades de Direito. Por ano, formam-se em média 85 000 bacharéis na área. Diante desse cenário, cabe refletir sobre qual perfil de advogado o mercado de trabalho busca.

A discussão faz-se importante porque nem todo estudante de Direito aprende na faculdade a desenvolver quatro competências que são importantes para o exercício da atividade hoje em dia: facilidade para encontrar informação de qualidade, capacidade de prevenir e resolver problemas, ser proativo e ter uma boa rede de relacionamentos. Parecem coisas óbvias, mas ainda estão em falta no mercado.

Além disso, qualidades difíceis de mensurar, como bom senso, gentileza e boas maneiras, são essenciais a todo profissional que deseja se relacionar com pessoas e novos clientes. O profissional atual do Direito deve ser capaz de fazer análises globais das questões. É dessa maneira que ele poderá buscar a solução mais adequada ao seu caso, mediante o aprofundamento seletivo dos aspectos e das circunstâncias mais importantes envolvidas.

O mercado também demanda o desenvolvimento de uma formação interdisciplinar que envolva, por exemplo, finanças, contabilidade, administração ou economia. A visão de negócios e o pensamento empreendedor permitem ao advogado atuar como um verdadeiro gestor de assuntos jurídicos. Tais características estão ligadas à advocacia moderna, e a exigência delas cresce a ritmo constante.

Algumas faculdades de Direito passaram a oferecer disciplinas não jurídicas, mas de alta relevância para a atuação do advogado, como análise econômica do Direito, negociação, project finance e marketing.

Trata-se de uma mudança de mentalidade. Com criatividade e inovação, escritórios de advocacia e modernas faculdades caminham para se tornar centros de profissionais com formação autônoma e multidisciplinar. Como resultado direto dessa nova dinâmica, muitos escritórios já dispõem em suas equipes de advogados executivos responsáveis por gerenciar profissionalmente suas atividades e negócios.

Não há fórmulas prontas para o sucesso. No entanto, percebe-se, no caminho daqueles que se destacam, a combinação das habilidades acima identificadas. Com isso, os jovens advogados estarão aptos para lidar melhor com novas demandas, áreas e contextos que estão por vir.

Tópicos: Advogados, Carreira e Salários, Carreira, Profissões

Rafael Alves de Almeida, da VOCÊ S/A - http://exame.abril.com.br/revista-voce-sa/edicoes/174/noticias/o-novo-perfil-do-advogado